Ao deixar meu filho na escola, pude presenciar a cena mais bonita que qualquer ser humano pode presenciar, daquelas “fofinhas”, a qual assistimos nas redes sociais… Um lindo abraço cheio de carinho e em alto e bom tom: “chegou meu amiguinho!”.

Como não perceber a importância daquele abraço? Quantas famílias encheriam seus corações de amor vendo aquela cena tão pura?

A escola é vida, é amor e é o melhor ambiente para que as crianças interajam com seus pares, proporcionando uma relação socioemocional, que, com toda certeza, contribui para uma melhor qualidade de vida.

A BNCC nos traz como direito de aprendizagem na educação infantil que é preciso: “brincar cotidianamente de diversas formas, em diferentes espaços e tempos, com diferentes parceiros (crianças e adultos) ampliando e diversificando seu acesso a  produções culturais, seus conhecimentos, sua imaginação, sua criatividade, suas experiências emocionais, sociais e relacionais”. (BNCC, p. 38)

Não podemos aceitar e encarar a escola como responsável só pelo processo de aprendizagem curricular, ela é responsável por todos os aspectos que envolvem o desenvolvimento das nossas crianças.

O ambiente escolar oportuniza interações sociais que contribuem diretamente com os processos educacionais, auxiliando-os em seus desenvolvimentos.  Crianças necessitam relacionar-se com outras crianças, trocar experiências, serem estimuladas e incentivadas.

Porém, se faz necessário […] 

construir um ambiente propício para relações interpessoais sadias, respeitosas, empáticas e colaborativas. Para isso, as habilidades socioemocionais devem ser trabalhadas com constância no espaço escolar, de forma a apoiar os alunos na gestão das próprias emoções e no convívio com os colegas.” (Escola da Inteligência. 2021)

Sem dúvidas o ambiente escolar favorece uma melhor qualidade de vida nas crianças, tendo em vista suas relações cotidianas voltadas para o desenvolvimento integral delas.

Por Anna Karolina Alvarenga, professora polivalente dos Anos Iniciais.